Dirigir sem CNH ou permissão, utilizar o veículo para exibir manobra perigosa, conduzir o veículo com o lacre da placa violado ou falsificado e transportar passageiros em compartimento de carga pode levar o seu veículo direto para o depósito do Detran. Além das diárias estipuladas pelo órgão, o condutor deve pagar o guincho para levar o carro ao pátio (caso seja o infrator), recebe a multa e os pontos na carteira.

É importante lembrar que o veículo ficará apreendido até que todos os débitos sejam quitados e as irregularidades do veículo sejam sanadas. Pontuações na CNH e multas são penalidades aplicadas pelos órgãos de trânsito do Brasil e previstas no Código de Trânsito Brasileiro, além dessas punições, existem outras medidas para autuar o condutor infrator: apreensão, retenção e a remoção do veículo.

As multas, diárias de depósito, IPVA e outros débitos do veículo podem pesar no orçamento. Para tanto, o parcelamento de multas, IPVA e outros débitos surge como alternativa para quem quer evitar ter o carro apreendido ou para quem está nessa situação e não dispõe de recurso imediato.

“Sabemos que imprevistos acontecem e também que algumas pessoas preferem contar com a sorte de não serem pegos em uma blitz, mas isso pode acontecer e pesar nas finanças. O parcelamento é uma opção para quem não quer correr riscos e também para quem está com o veículo apreendido. O cidadão pode parcelar o débito em até 12 vezes, sem precisar apertar o orçamento” explica o supervisor comercial da Vamos Parcelar, Pedro Martins.