Vamos Parcelar

VGBL: o que é e como funciona?

Clique aqui e saiba mais sobre essa modalidade de previdência privada!
3 min. de leitura
Atualizado em 31 maio 22
Acesso rápido

Muitas dúvidas surgem quanto ao plano ideal que pode ser escolhido na hora de fazer uma previdência privada. Pensando nisso, separamos neste artigo algumas informações sobre o VGBL. Essa modalidade de previdência, oferece cobertura por sobrevivência e é confundida com frequência com o Plano Gerador de Benefício Livre, o PGBL. Confira!

O que é VGBL? 

Vida Gerador de Benefícios Livre, ou VGBL, é uma das alternativas de previdência privada comercializada no país. Além de ser uma opção para quem deseja complementar a renda na aposentadoria, é um plano semelhante ao seguro de vida. Além disso, o VGBL é indicado para quem faz a declaração simplificada do Imposto de Renda, uma vez que o imposto incide apenas sobre a rentabilidade acumulada.

Esse tipo de rendimento tem sido procurado com frequência devido ao baixo retorno da previdência social. Com isso, fazer uma previdência privada se tornou uma alternativa positiva para quem deseja ter uma aposentadoria mais tranquila sem depender do INSS

Como funciona o rendimento?

Basicamente, para acumular um valor na previdência privada  são necessários alguns fatores. O primeiro deles está relacionado ao montante contribuído ao longo dos anos. Se uma pessoa aplica em valores mais altos, logo o seu rendimento será maior. Por isso, é recomendável economizar e aplicar sempre que possível para ter bons resultados no futuro. 

Outro ponto importante é a escolha do plano, no caso do VGBL, o contribuinte precisa analisar o retorno que vai obter nos investimentos. Além disso, é importante levar em consideração a cobrança de taxas e impostos.

VGBL x PGBL

O Plano de Gerador de Benefícios, PGBL, é considerado uma previdência complementar, ao contrário do VGBL que é mais um seguro de vida. Entretanto, o PGBL  é mais indicado para investidores que emitem a declaração do Imposto de Renda completa ou que já são contribuintes do INSS. 

A diferença marcante entre um plano para o outro é que no PGBL, ao fazer a declaração do IR,  o imposto incide sobre o valor total resgatado ou recebido sob a forma de renda. Ademais, também existe a possibilidade de deduzir o valor pago na base de cálculo do Imposto de Renda, desde que o montante não ultrapasse 12% da renda bruta anual. 

Vantagens e desvantagens do VGBL 

Como qualquer rendimento, é importante saber suas vantagens e desvantagens. Em relação ao VGBL, o seu principal benefício é a rentabilidade a longo prazo. Esse tipo de contribuição é recomendado para as pessoas que possuem dificuldade em juntar dinheiro, mas que querem investir em uma aplicação com bom rendimento. Além disso, outro ponto positivo, é que a tributação do IR é cobrada apenas sobre a rentabilidade da tributação. 

Por outro lado, uma das desvantagens do VGBL é a possibilidade de pagar altas taxas administrativas que incidem sobre o valor aplicado. Ademais, ao declarar o IR, os valores pagos não podem ser abatidos na base de cálculo. 

Tributação e Taxas 

A taxa de administração e de carregamento do VGBL são cobradas pelos bancos ou instituições financeiras. A taxa de administração é compensada anualmente por meio do percentual sobre o total aplicado. Já a taxa de carregamento, incide sobre cada contribuição que a pessoa fizer para o rendimento. 

Por outro lado, o Imposto de Renda é cobrado apenas sobre a rentabilidade final do investimento, ele pode ser recebido de forma regressiva ou progressiva. Portanto, cabe à pessoa escolher qual é a melhor forma na hora de fazer o plano. 

Portabilidade e Resgate 

A portabilidade de plano é permitida desde que seja de uma instituição para a outra, sem mudar a categoria da previdência. Por exemplo, o titular pode transferir o seu VGBL para outro banco, mas não consegue alterar para o PGBL. Além disso, sobre a tabela do Imposto de Renda, só é permitido trocar de tabela progressiva para regressiva. Diante disso, não é possível migrar de regressiva para a progressiva. 

Por fim, para solicitar o resgate, um prazo mínimo de carência deve ser pré-estabelecido no contrato. Na maioria das vezes o limite máximo estabelecido é de 24 meses e mínimo de 60 dias. Após esse período, deve o titular deve solicitar o resgate ou portabilidade do VGBL na instituição bancária. 

E aí, conseguimos esclarecer algumas dúvidas? Não deixe de ficar atento ao nosso blog para ver mais conteúdos como esse. Ainda não conhece a VP? Não perca tempo! Aqui você parcela todos os seus impostos em até 18X e contas em até 24X com a menor taxa de serviço do mercado. Pague seus impostos sem dor de cabeça!

Acesso rápido

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos completos sobre educação financeira, investimentos e novidades da VP.

Autorizo o envio de conteúdo e estou de acordo com a Política de Privacidade da VP.

Siga nossas redes sociais

Acompanhe os conteúdos e fique por dentro das novidades!

Postagens relacionadas

Prontinho! Agora você já pode usar o seu cupom para colocar seus débitos em dia.

Copiar e pagar Copiado!