A implementação do Open Banking Brasil promete trazer muito mais autonomia e liberdade ao consumidor brasileiro. Com a possibilidade de acessar livremente todos os seus dados financeiros ao longo da vida, você poderá migrar de um banco para outro sem tantas dificuldades e burocracias.

Ainda em fase de elaboração – iniciada em 1º de fevereiro de 2021 –, o Open Banking deve começar as atividades até o final deste ano. Estimulando a competitividade no setor financeiro, o novo ecossistema tem tudo para revolucionar a forma como lidamos com o nosso dinheiro.

Você já ouviu falar em Open Banking? Conhece as vantagens desse novo sistema para o mercado financeiro? Sabe como essa realidade pode chegar até você, de forma prática? Continue conosco e entenda como essa nova configuração pode tornar sua vida financeira muito mais simples e segura!

O que é Open Banking Brasil?

Open Banking Brasil é um sistema bancário no qual as informações financeiras dos brasileiros podem ser acessadas de forma livre. Em tradução literal, Open Banking significa “banco aberto”, já demonstrando como o controle dos próprios dados será colocado nas mãos do cliente.

Na prática, o Open Banking funcionará de forma integrada, disponibilizando a todos os bancos o livre acesso a históricos financeiros e muito mais. Por exemplo, quando você decide fechar uma conta em determinado banco, para abrir uma nova em outra instituição. O processo, geralmente, é lento e burocrático, não é mesmo?

E é justamente essas complicações que o novo sistema pretende eliminar. A estruturação do Open Banking é embasada em mais autonomia para os consumidores, menos custos para as transações financeiras e mais competitividade para as instituições bancárias melhorarem a qualidade do atendimento.

Como funciona um Open Banking?

O Open Banking funciona de forma singular em cada lugar. Ou seja, o nível e a profundidade dos dados que podem ser disponibilizados pelas instituições financeiras dependem da legislação vigente naquele país.

No Brasil, farão parte do novo sistema apenas instituições financeiras reguladas oficialmente pelo Banco Central. Além disso, algumas instituições têm obrigação legal de participar. Entre elas, estão: Citibank, Santander, Itaú, Bradesco, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, BNDES e mais.

Já as instituições de pagamentos, como PicPay, Nubank e Mercado Pago podem escolher participar ou não.

Ainda não existe um procedimento definitivo para utilização do Open Banking no Brasil. Contudo, algumas etapas já são especuladas por especialistas. É o caso da portabilidade de crédito, quando o cliente deseja transferir sua conta de um banco para outro.

Ou seja, o cliente que é usuário do “Banco A” e possui R$ 5.000 de limite em seu cartão de crédito, quando migrar para o “Banco B” já possuirá esse mesmo benefício, sem precisar construir o relacionamento com essa nova instituição do zero, como funcionava no sistema antigo.

Outra provável funcionalidade é a cotação de taxas bancárias. Com os próprios dados financeiros em mãos, o cliente pode simular empréstimos e investimentos em diferentes instituições, antes de tomar a decisão final. Isso tudo de forma muito mais simples e rápida!

Embora existam essas especulações sobre o funcionamento do novo sistema, ainda não existe uma padronização de como deve funcionar o fluxo de consentimento pelo Open Banking Brasil. Em outras palavras, ainda não se sabe qual procedimento ou ferramenta será utilizada para solicitar, autorizar e transferir os dados financeiros.

Qual a diferença entre Open Banking e banco digital?

A principal diferença entre Open Banking e banco digital é a definição de cada um deles. O Open Banking é um modelo de negócios. Já o banco digital é uma instituição financeira.

Além disso, apesar de ambas utilizarem a Internet para oferecer produtos e serviços, um banco digital só existe no ambiente online. Ou seja, os produtos, serviços e a sede de uma instituição financeira digital estão hospedados na Internet.

Outro detalhe importante sobre o banco digital é que ele, não necessariamente, utiliza o sistema Open Banking. Por outro lado, os bancos tradicionais, ainda que funcionem em ambientes físicos, serão obrigados a adotar o modelo de negócio.

Quais as vantagens do Open Banking?

Em primeiro lugar, a simplificação da  burocracia interna para solicitar informações, incentivos, empréstimos, investimentos e trocas de instituições financeiras. Com a adesão ao Open Banking Brasil, um determinado banco poderá conceder a seus clientes condições muito mais flexíveis.

Serviços mais baratos e eficientes

Outro importante benefício é a redução dos custos em inúmeros serviços. A integração entre bancos, fornecida pelo novo sistema, vai tornar os processos muito mais rápidos, baratos e eficientes.

O consumidor também poderá se deparar com taxas muito mais acessíveis. Isso porque o Open Banking deve estimular a competitividade entre as instituições financeiras, forçando a criação de produtos e serviços com maior qualidade e melhores condições.

Mais autonomia sobre os próprios dados

O cliente também terá muito mais autonomia sobre suas informações. Com o livre acesso a seus dados financeiros, o consumidor ficará responsável pelo compartilhamento e uso dessas informações, podendo utilizá-las para otimizar sua organização financeira.

Instituições financeiras mais transparentes

Com o Open Banking, os bancos também serão obrigados a agir com maior transparência diante de seus clientes. Isso pode estimular a qualificação dos serviços e a criação de produtos financeiros com melhores condições. Além disso, a tendência é que o setor bancário invista na modernização e desenvolvimento de soluções inovadoras.

Integração do mercado financeiro

A concentração de todos os serviços e produtos financeiros em um único sistema também pode ajudar na organização do mercado financeiro. Da mesma forma, essa integração tende a simplificar o gerenciamento de dívidas, receitas e investimento, contribuindo para uma melhor saúde financeira para muitos brasileiros.

Desenvolvimento de Cibersegurança 

Outro fator de destaque no Open Banking é o desenvolvimento de tecnologias e mecanismos jurídicos que forneçam maior segurança ao compartilhamento de dados.

Se você chegou até aqui, já sabe que a chegada do Open Banking Brasil promete revolucionar o mercado financeiro. Então que tal já ir seguindo os princípios de integração que vimos ao longo do texto e buscar novas formas de organizar sua vida financeira? Com a Vamos Parcelar, você pode centralizar o pagamento de todas as suas contas! Comece agora mesmo!