A Idwall (empresa focada em soluções de identificação e onboarding digital) realizou três dias de debates virtuais sobre inovação, tecnologia e o futuro do sistema financeiro.

Participaram do debate sobre o PIX – nova modalidade de pagamentos que permite envio e recebimento de dinheiro em questão de segundos, 24 horas por dia, sem exceções entre finais de semana e feriados: Felipe Penido, Carlos Brandt, Henrique Pereira e Eliseu Tudisco.

O chefe adjunto do departamento de competição e de estrutura do mercado financeiro do Banco Central, Carlos Brandt, apresentou o novo formato de pagamento PIX aos demais painelistas dizendo que o BC se adaptou ao novo cenário de emergência sanitária rapidamente e colocou como prioridade a nova modalidade. “Tivemos direcionamento do presidente de que o PIX e o OPEN BANK têm prioridade absoluta para que seja avançado e entregue em novembro”, afirma.

O superintendente de Cash Management, soluções digitais e meios de pagamentos do Itaú, Henrique Pereira, frisou que desde do início do ano a instituição se preparou com três fóruns relevantes dentro do banco para acompanhamento estratégico do PIX. “O desafio do momento atual é a execução, mas estamos construindo junto com os nossos clientes soluções em cima dessas transações que vão mudar completamente o mercado, essas soluções conjuntas é uma parte muito importante do Itaú para manter a vanguarda em relação a pagamentos”, ressalta.

No bate-papo, Eliseu Tudisco, executivo senior da Accenture ressaltou sobre as oportunidades que o PIX traz e complementou dizendo que por se tratar de redução de custo e diversos benefícios que o formato proporciona é muito importante que seja tratado como prioridade.

Todas as instituições serão obrigadas a oferecer o PIX?

Ainda no debate, Brandt explicou que existe uma regra de obrigatoriedade de participação no PIX que é aplicada às instituições que tenham mais de 500 mil contas transacionais ativas para clientes, incluindo conta de depósito à vista, conta poupança ou contas de pagamentos.

“No momento temos 34 instituições atingidas pela obrigatoriedade, portanto, elas são necessariamente envolvidas nesse processo de adesão. Algumas instituições devem participar de forma direta no SPI (plataforma de liquidação), outras participam de forma indireta e algumas não podem participar de forma direta, essas são as instituições de pagamento não reguladas que estão abaixo da régua de volumetria que é exigida para autorização do BC”, ressaltou o chefe adjunto do departamento de competição e de estrutura do mercado financeiro do BC.

Todas as instituições participantes, diretas ou indiretas, estão sujeitas a um processo de homologação e por etapas para avaliar a capacidade de atuarem a partir de novembro com o PIX.

Vamos Parcelar

A Vamos Parcelar é uma fintech integrada ao Sistema de Pagamentos Brasileiro e os principais bancos do Brasil.

Credenciada e integrada a mais de 400 órgãos públicos em mais de 21 estados, a fintech ampliará a oferta de pagamentos eletrônicos ao criar o marketplace de pagamento de boletos, contas de concessionárias e estabelecimentos privados, promovendo a inclusão digital de pessoas, empresas e governos.

A empresa também oferece o pagamento ou parcelamento de débitos do Detran, conta de luz, água, plano de saúde, fatura de cartão de crédito ou qualquer outro boleto em até 12 vezes no cartão de crédito.

A Instituição de pagamento é certificada pelas principais bandeiras do Arranjo de Pagamentos, instituído pela lei nº 12.865/13 e circulares do Banco Central do Brasil.

Abrir agora
Powered by