Entenda como funciona cada modalidade de transferência e suas taxas

A Transferência Eletrônica de Ordem de Crédito (TED) e o Documento de Ordem de Crédito (DOC) são duas modalidades de transferência de dinheiro, como são bem parecidas é comum a dúvida sobre as transações. Afinal, qual a diferença entre eles?

Vamos lá: a diferença é que a TED, o dinheiro cai no mesmo dia se for realizada antes das 17h e permite transferência com valores maiores do que R$:5 mil reais.  Já no DOC, o dinheiro cai no dia seguinte e o valor máximo é de R$: 4999,99.

Fazer uma transferência nada mais é que mandar dinheiro de uma conta para outra, sem precisar de depósitos, saques etc. Elas podem ser realizadas entre contas de um mesmo banco, essa chamamos de Transferência Eletrônica Financeira (TEF), quanto entre contas de bancos diferentes.

Quem estabelece as regras para que as transferências sejam realizadas é o Banco Central. Caso você digite ou aconteça algo errado com a conta que está mandando o dinheiro retornará à sua conta e a operação poderá ser refeita.

Para realizar uma TED ou DOC é preciso ter em mãos alguns dados do beneficiário – que vai receber o dinheiro, ou seja, nome completo, CPF ou CNPJ de quem vai receber o dinheiro, tipo de conta (corrente ou poupança) e dados bancários (número da agência, conta e código do banco (que é o número definido pelo Banco Central para cada instituição financeira) são dados indispensáveis para que o processo seja realizado com sucesso.

É importante reforçar que transferências entre contas do mesmo banco, nem sempre é preciso informar o CPF ou CNPJ e os valores caem no mesmo dia. Agora vamos detalhar cada uma das operações.

TED

A Transferência Eletrônica Disponível (TED) foi criada em 2002 pelo Banco Central e a principal característica da TED é que a efetivação é concluída no mesmo dia da operação. Nessa opção o dinheiro entra na conta de quem está recebendo mais rápido, podendo demorar até 90 minutos para ser creditado na conta do destinatário, se a transação for feita até as 17h.

Antigamente a TED possuía um valor mínimo de R$ 500 reais, mas em 2016, o Banco Central acabou com essa exigência e, atualmente, não existe valor mínimo para TEDs, porém existem tarifas e, geralmente, quando a TED é realizada pela internet costumam ser mais baratas que nas agências.

DOC

O Documento de Ordem de Crédito (DOC) também não possui um valor mínimo, mas tem uma quantia máxima que pode ser enviada por operação, que é de R$: 4.999,99 – qualquer quantia acima disso deve ser feita como TED. A principal característica do DOC é que a operação é finalizada no próximo dia útil, isso se for feita pelo usuário até às 22h.

Existem taxas para realização de TED e DOC?

Cada banco pode definir o valor que será cobrado por cada transação, porém muitos oferecem pacotes de tarifas mensais que incluem um número limitado de TEDs e DOCs – por isso, é importante conferir se você possui transferências incluídas no seu tipo de conta ou não.

Mas sim, essas transações têm taxas. Se você tiver disponíveis pacotes mensais que incluam um determinado número de transferência, se exceder esse número começa a pagar normalmente para fazer a operação.

A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) disponibiliza um arquivo atualizado com todos os preços cobrados para a realização destes serviços.

TED ou DOC: Como escolher?

Neste caso vai depender mais da quantia e prazo que você tem para transferir.

  • Precisa transferir mais do que R$ 4.999,99? Então você só pode fazer uma TED — já que o DOC não permite transações acima desse valor.
  • Precisa que o dinheiro caia no mesmo dia? Então, faça uma TED até às 17h.
  • Não tem tanta pressa para transferir? Então cheque quais as taxas do seu banco e descubra qual operação irá custar menos para o seu bolso – normalmente, elas têm custos diferentes.

Lembrando que a principal diferença entre TED e DOC é que o primeiro permite que a quantia caia na conta no mesmo dia, se realizada antes das 17h, enquanto no DOC este processo pode levar mais de um dia, caso a transferência seja feita depois das 22h. Justamente pelo tempo maior de espera, o DOC pode ser mais

PIX

O Pix é o novo meio de pagamentos que facilitará as transferências entre contas, o pagamento de débitos e até reconhecimento de impostos e taxas de serviço, entre várias outras facilidades, porém a previsão é para novembro de 2020.

Além de poder transferir dinheiro para outras pessoas, será possível também fazer pagamentos a estabelecimentos usando o Pix. Mas o grande diferencial é a rapidez e a disponibilidade deste meio de pagamento. Hoje, como citado acima, existem restrições de dias, horários e quantias para transferência entre contas através de TED e DOC, já com o Pix essas e outras transações poderão ser realizadas a qualquer dia e horário.

Abrir agora
Powered by